O Transporte Coletivo de São Luís é excludente para a população e benéfico a empresários

Isaías Castelo Branco, ex-presidente do Sindicato dos Rodoviários, ao prestar depoimento na CPI do Transporte Coletivo, foi bem taxativo, ao afirmar que o sistema atual não serve para os rodoviários e muito mais aos usuários, que acabam sendo as maiores vítimas de serviços viciados e totalmente excludentes para a população de São Luís.

Como jornalista acompanhei na Câmara Municipal todo o processo de um jogo de cartas marcadas com vencedores previamente definidos. A formação de consórcios teve um único objetivo favorecer as empresas maiores, as quais abocanharam o chamado filé das linhas mais rentáveis. Sempre qualifiquei a concorrência pública dos transportes coletivos, como uma das farsas mais vergonhosas, em que teve muitos interessados para punir a população de São Luís. O povo sofre todos os dias e com maior intensidade as crianças e jovens que se destinam às escolas e os idosos, que não conseguem adentrar aos coletivos com as dezenas de práticas excludentes diárias, em que lhes são tirados o direito de acesso ao coletivo, quando são ignorados nas paradas.

A CPI já tem instrumentos e informações que podem perfeitamente mudar a realidade dos serviços de transportes coletivos de São Luís, mas haverá necessidade que o seu posicionamento no relatório final contenha as inúmeras denúncias da precariedade dos serviços, que no modelo atual não contempla os cidadãos e cidadãs, como direito de ir e vir com um transporte de qualidade.

Não de pode deixar de registrar que o empresariado do transporte coletivo, vem fazendo articulações dentro de segmentos políticos, com vistas a que a CPI não venha a se constituir em um instrumento de mudanças para favorecer a população. Entendo que os políticos que efetivamente defendem os interesses populares e as entidades da sociedade civil organizada fiquem atentos não apenas ao relatório da CPI, mas aos conchavos dentro do próprio parlamento municipal e segmentos da administração pública, com vistas a desqualificação da Comissão Parlamentar de Inquérito, daí que o relatório final é que poderá se constituir como respaldo aos interesses coletivos.

Fonte: AFD

 

MEC divulgou datas para inscrições no Sisu, Prouni e Fies 2022

Estudantes que fizeram o Enem podem se organizar para concorrer às vagas nas universidades públicas ou privadas

O MEC (Ministério da Educação) divulgou na terça-feira (18) o calendário de inscrições para os processos seletivos de ingresso ao ensino superior. Os estudantes que fizeram o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) podem se organizar para concorrer às vagas em universidades públicas ou privadas. A previsão é que os editais dos três processos seletivos sejam publicados no DOU (Diário Oficial da União) ainda nesta semana. As inscrições para o Sisu (Sistema de Seleção Unificada) poderão ser feitas do dia 15 ao dia 18 de fevereiro. O prazo de inscrição para o Prouni (Programa Universidade para Todos) será de 22 a 25 de fevereiro. No início de março, do dia 8 ao dia 11, poderão se inscrever os candidatos ao FIES (Fundo de Financiamento Estudantil), que este ano oferta 110.925 vagas.

O número de vagas disponíveis no Sisu e no Prouni será divulgado em breve, assim como os três editais com os cronogramas completos e todos os critérios dos processos seletivos de 2022. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas, exclusivamente, pela internet. A classificação é feita com base na nota obtida na edição mais recente do Enem. Pode concorrer às vagas do Fies quem fez qualquer uma das edições do Enem a partir de 2010.

Programas

O Prouni oferece bolsas de estudo, integrais e parciais (50%), em instituições particulares de educação superior. Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser até 3 salários mínimos por pessoa.

Podem se inscrever no Prouni apenas estudantes brasileiros sem diploma de curso superior que tenham participado do Enem mais recente e obtido, no mínimo, 450 pontos de média das notas. Além disso, o candidato não pode ter tirado zero na redação.

O Fies tem objetivo de conceder financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC. O programa é dividido em diferentes modalidades, possibilitando juros zero a quem mais precisa e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato.

Já o Sisu é o sistema informatizado do MEC, no qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas para estudantes participantes do Enem. Os candidatos com melhor classificação são selecionados.

Fonte: R7

 

Quase 75 mil pedidos malandros de indenização de ‘perseguidos’ pela ditadura foram arquivados

A indenização por “perseguição política”, que fez a fortuna de muitos malandros, ganhou abordagem técnica desde 2019. Com isso, a maior parte foi negada. Durante todo o ano de 2021, apenas 134 pessoas se aventuraram a tentar arrancar algum dos cofres públicos alegando danos sofridos em razão da oposição ao regime militar. Desde que isso foi criado, em 2002, foram 79,1 mil tentativas, 74,9 mil delas malandras, que acabaram arquivadas. Mas 3,7 mil ainda aguardam análise.

Treze voluntários

A Comissão de Anistia é composta de 13 voluntários, que examinam os processos e submetem seus pareceres a votação do colegiado.

#negaComissão

Já em fase de finalização são 458 processos que pedem reparo do Estado por “perseguição”. A expectativa é que todos sejam negados.

3,6 mil portarias

Balanço da ministra Damares Alves (Mulher, Direitos Humanos) indica que em 2021 saíram 3,6 mil portarias de decisão técnica sobre anistia.

Um homem de bem

Um dos autores mais perseguidos, Millôr Fernandes se negou a pedir “anistia”. Disse ter feito militância contra o regime e não investimento.

Coluna do Claudio Humberto

 

Alexandre Garcia denuncia nova farra do PT com dinheiro do povo

Lula e sete ex-ministros estão na folha de pagamentos do PT. O fundo partidário do partido é usado para pagar salários de mais de 20 mil reais para Dilma, Mercadante, Haddad e outros. E quem paga isso é o cidadão!

Com este post no Twitter, o deputado federal Carlos Jordy chamou a atenção pra ‘absurda farra com o dinheiro público’ realizada por legendas como o PT, que mesmo ‘apeados’ do Poder, têm acesso as bilhões do Fundo Eleitoral e distribuem à vontade em salários e auxílios.

Além de encher os bolsos da ‘cumpanheirada’, mantendo a tradição de Lula e Dilma no Palácio do Planalto, a grana serve para financiar ‘uma campanha antecipada’ e, obviamente, alimentar uma campanha contra Jair Bolsonaro.

Jordy também publicou um vídeo da Jovem Pan News, que aponta os nomes da lista de “assalariados do PT’, que conta com nome como o dos ex-ministros Fernando Haddad, Franklin Martins e Eugênio Aragão, e até mesmo Dilma e Lula – que já recebem gordas verbas advindas do poder público, um direito concedido a ex-presidentes.

O jornalista Alexandre Garcia analisou o absurdo:

“Dinheiro de imposto que não vai pra hospitais, pra infraestrutura, pra saneamento básico, pra segurança pública, pra educação, mas para sustentar folhas de pagamento de partido político que nem é o seu… é isso que nós temos aqui no país, essa aberração”

Sim, eleitor, eles ‘jamais irão largar as tetas’ e vão continuar rindo da sua cara, afirmou o jornalista.

 

Médica Mayra Pinheiro denuncia ao STF o trio Omar, Renan e Randolfe

A médica e secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, protocolou denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra os senadores Randolfe Rodrigues, Renan Calheiros e Omar Aziz, por ‘violação do sigilo funcional e violência psicológica contra a mulher”.

Mayra, que ao lado da Dra Nise Yamaguchi, foi uma das mulheres ameaçadas pelo presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, durante depoimento ao colegiado, acusa os parlamentares de vazarem à imprensa informações obtidas por meio da quebra de seus sigilos fiscal, bancário, telefônico e telemático, de forma proposital, com o objetivo de ofendê-la e humilhá-la.

Agora é aguardar e observar se o STF vai fazer valer o que determina a lei ou se vai optar pelo ‘velho jogo de compadres’. Parece que isso depende muito do ministro que for sorteado para analisar o caso.

Uélson Kalinovski

Jornalista desde 1996, com especialização em Ciência Política e mais de uma década de experiência na cobertura dos temas nacionais, em Brasília.

 

Presidente da Câmara quer o fim da cobrança de malas por empresas aéreas

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), resolveu agir contra as “tarifas altíssimas”, uma das mais altas do mundo, cobradas pelas empresas aéreas brasileiras. Ele também criticou as dificuldades para remarcar passagens, com exigências absurdas aos passageiros. Lira já mandou tirar da gaveta, para análise e votação próxima, do projeto de resolução do Senado engavetado pelo antecessor Rodrigo Maia em dezembro de 2016, anulando a cobrança de malas nos voos nacionais.

Golpe 171 típico

Dirigentes da Anac e das empresas aéreas mentiram, ao garantir que, com a cobrança de malas, as tarifas cairiam. Mas só aumentaram. O projeto de resolução do Senado foi aprovado no início da cobrança, mas empacou na Câmara pela força do lobby das empresas

Mala tem passagem

Cinco anos depois, a cobrança para transportar malas, inexistente antes, hoje virou a não menos malandra “passagem de mala”. Também têm chegado informações chocantes, ao Congresso, sobre relações “inapropriadas” entre empresas aéreas e pessoas da Anac.

Coluna do Claudio Humberto

 

Weverton Rocha admite não recuar da sua candidatura e estar com Flavio Dino nas eleições

Em entrevista concedida hoje a jornalista Carla Lima, no programa Bom Dia Mirante, o senador Weverton Rocha, pré-candidato ao Governo do Maranhão e integrante da base do governador Flavio Dino, fez algumas ponderações sobre a atual administração estadual, tratando de reconhecer importantes avanços, mas deixou bem claro que o Maranhão tem importantes potenciais no turismo e na exploração de gás natural e vocação para um grande parque industrial e que todos precisam urgentes de avanços para a geração de riqueza e melhoria de vida da população, deixando bem evidente que serão propostas para um eventual plano de governo.

Em momento algum Weverton Rocha falou em racha, mas deixou bem claro que não recuará da sua disposição em disputar o Governo do Maranhão, diante das pesquisas que sempre lhe deram destaque entre os postulantes da base de sustentação do governador Flavio Dino. Apesar da possível decisão do nome do candidato para marcada para o dia 31 do corrente, Weverton Rocha, não acredita na definição, muito embora Flavio Dino tenha se manifestado pelo vice-governador Carlos Brandão, mas o maior peso ficará por ponta dos apoios e das pesquisas, que segundo ele, lhes são favoráveis. O senador registrou também, que estará junto com Flavio Dino nas eleições, mas não explicou como.

Fonte: AFD

A despedida de Henrique Pereira

Henrique de Araújo Pereira foi uma pessoa singular. Pela beleza de seu caráter. Pelo exemplo de humildade, lealdade e, acima de tudo, de solidariedade. Sempre disposto a ajudar o seu semelhante. Foi com essas virtudes que ele construiu a família que todos nós conhecemos e que sempre acolheu a todos com o amor transbordante de quem nasceu para o bem.

Costumo dizer que temos a liberdade de escolher nossas opções, mas não controlamos as consequências de tais decisões. As opções de Henrique geraram uma bela família e uma plêiade de amigos que cativou e cultivou por onde andou, na vida profissional, a exemplo do Banco do Brasil e no seio da advocacia, na vida institucional, como na Maçonaria, no Rotary e na OAB.

Mais do que nunca recebeu a recompensa do amor de sua família nos anos de sofrimento, com sua presença permanente nessa luta desigual contra a enfermidade, nos últimos anos. Não raro consolando mais do que sendo consolado pelos que o viam sofrendo. Esforçava-se para manter um bom-humor, alimentando inclusive a esperança de lançar mais um livro, cujo material já me entregara e já se encontrava com a diagramação esboçada.

O título, bem ao estilo gozador com que permeava sua literatura, era A volta dos que não foram – e outras viagens.

Henrique fez mais uma. Esta, sem volta, dizem uns.

Foi sem sua companheira inseparável, Mariazinha, que disse em versos:

“Somos duas almas gêmeas

Que nasceram para se amar,

E, se amarão até o final

Da maneira que desejarem.”

Mas foi levado pelo Arquiteto do Universo, em quem nunca perdeu a fé.

Com certeza são inúmeros os amigos que gostariam de expressar aqui sua dor, sua saudade, a tristeza pela perda de tão extraordinário ser humano.

Resumo numa frase de Enide, minha esposa, transcrita no prefácio do último livro dele: Henrique é um homem essencialmente bom.

Dou a ele a palavra para que possamos ouvi-lo:

Agradeço ao Criador

Tudo o que me deu de bom

Os momentos de amor

Dedicados em um bom tom

Ouvindo o meu clamor

Sentindo minha gratidão …

Manter as minhas amizades

Unidas no bem fazer …”

Mariazinha já respondeu ao escrever ao lado de Henrique, na sua enfermidade:

“Agradecemos ao nosso bom Deus

Por nossa feliz união,

Tendo uma família maravilhosa

E muito amor no coração. …

Obrigada, meu amado Deus

Por tanto amor e felicidade,

E ter conhecido e amado

O meu Henrique, por toda a eternidade.”

Obrigado, Henrique, pelo amigo maravilhoso e de todas as horas que você sempre foi.

Carlos Nina

(Mensagem lida por Cláudia, Heliane e Gisele, filhas de Henrique de Araújo Pereira, na missa de 7º Dia de seu falecimento, celebrada no dia 17 de janeiro de 2022, na Igreja Bom Pastor, no Renascença, São Luís)

 

 

Ana Paula assume a prefeitura de Pinheiro focando na vacinação de adultos e crianças

A vice-prefeita do município de Pinheiro, Ana Paula Nova Alves tomou posse no final da tarde de ontem (17), como titular temporária do executivo municipal durante o impedimento do prefeito Luciano Genésio, afastado do cargo pelo TRF1, pelo envolvimento em corrupção em que teriam sido desviados mais de R$ 38 milhões, recursos federais para a aplicação na saúde e na educação.

De acordo com a Controladoria Geral da União e a Polícia Federal, o prefeito e seus irmãos agiam com intensidade através de licitações fraudulentas para desviar recursos públicos, além de integrar organização criminosa que praticava lavagem de dinheiro e que inicialmente ultrapassam mais de R$ 38 milhões.

A PF e a CGU continuam realizando novas investigações em torno de toda a administração da prefeitura de Pinheiro sobre recursos federais, estando sendo feitos levantamentos do dinheiro destinado para saúde.

A prefeita Ana Paula ao tomar posse registrou que espera o mais breve o retorno do titular Luciano Genésio e que vai concentrar as suas ações no enfrentamento a covid e para tanto dará plena prioridade a vacinação para adultos e crianças, dentro das orientações do Ministério da Saúde. Por outro lado, a prefeita terá que trabalhar com bastante atenção na administração municipal, zelar pela transparência e evitar influência do gestor afastado, o que poderá se tornar um grande complicador para o período em que dirigirá a prefeitura.

 Advogados do prefeito tentam cassar decisão do TRF1 junto ao STJ e STF

Os advogados do prefeito afastado Luciano Genésio trabalham intensivamente para reverter a decisão do TRF1, mas esbarram na contundência das provas que pesam contra ele, que inclusive teria motivado pedido da sua prisão pela Polícia Federal, que foi substituída pelo afastamento do cargo. Partidários do prefeito manifestam-se bastante preocupados, diante de que, quanto maior for o prazo do afastamento de Luciano Genésio maior será o seu desgaste, em um ano eleitoral.

Fonte: AFD

 

 

Interpol ignora pedido do STF para prender o jornalista Allan dos Santos

A Interpol não deu a mínima para o pedido de prisão do jornalista Allan dos Santos. Um verdadeiro tiro no pé, disparado pelo ministro Alexandre de Moraes, que atinge em cheio toda a instituição, Supremo Tribunal Federal.

Diante disso, ministros e colegas de Alexandre de Moraes no STF, temendo maiores explorações e desgastes em torno do fato, querem que ele desista de tentar prender o jornalista, além de que os Estados Unidos não costumam extraditar jornalistas.

Pela primeira vez, Alexandre Moraes talvez esteja percebendo que ele pode muito, mas não pode tudo. Terá forçosamente que recuar. Pode ser o começo de derrotas dentro da maior Corte de Justiça do País, em que tenta se impor como o soberano dos soberanos.

Gonçalo Mendes Neto. Jornalista.