Secretário Silvio Leite, quando é que o Maranhão terá Segurança Pública?

Há poucos dias, tive oportunidade assistir entrevista de um oficial superior da Polícia Militar lotado no município de Timon, falar taxativamente por várias vezes, que estavam sendo realizadas operações na cidade, com o objetivo de fazer com que a população tivesse a sensação da existência de segurança. A sua manifestação é o retrato da realidade no Maranhão, através de discursos evasivos da gestão da Segurança Pública, com a falta de um mínimo de verdade e respeito a população, a maior vítima da violência, que avança na capital e no interior e caminha para proporções graves.

Assassinatos e feminicídios tomam proporções acentuadas no Estado. As drogas podem encontradas em todos os lugares, uma vez a comercialização é livre e em qualquer local traficantes fazem negócios, principalmente nos centros comerciais. De há muito o Maranhão está na rota dos grandes traficantes de cocaína e constantemente a Polícia Rodoviária Federal vem fazendo apreensões, que muitas vezes até assustam as autoridades policiais pelos volumes e audácia da bandidagem.

Em São Luís, até o mês de novembro já haviam sido registrados quase 1.200 assaltos a coletivos e recentemente, um policial militar matou um dentro de um ônibus na avenida dos Franceses. O que mais revolta e indigna a população é que as estratégias que os bandidos utilizam, sempre são os mesmos lugares para as práticas de assaltos e a polícia não consegue fazer um trabalho preventivo.

Casos de violência de assaltos a mão armada e o elevado número de roubos de celulares, a maioria não chega ao conhecimento das autoridades, a não ser em que a vítima tenha necessidade de registro de BO. As pessoas sabem que até existe boa vontade dos policiais civis e militares, mas os efetivos são restritos e o pouco serviço efetivo de enfrentamento a violência tem que ser computado aos esforços dos civis e militares, em respeito à população.

Infelizmente, a realidade que está exposta aos maranhenses, ainda é da administração passada, mas o governador Carlos Brandão precisa, além de aumentar o efetivo, colocar pessoas com compromisso, transparência e competência para dirigir o Sistema Estadual de Segurança, para que a população tenha efetivamente a certeza da segurança e não apenas a sensação, como disse o oficial da PM do município de Timon.

Fonte: AFD

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *