Temendo torturas na penitenciária preso tenta o suicídio. Aumentam assédios e perseguição em Timon

Um homem, que misteriosamente não teve o seu nome revelado, acusado de tentar esfaquear seu irmão, foi preso nesta terça-feira (09), por volta de 10h, por uma equipe do 11º Batalhão da Polícia Militar do Maranhão – PM-MA – no município de Timon.

A guarnição se deslocou até o local apontado na denúncia, e no momento da abordagem, ao saber que voltaria à Penitenciaria Regional de Timon, o elemento tentou suicídio desferindo um forte golpe de faca em seu próprio abdômen. O SAMU foi acionado e ele foi encaminhado ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

Após averiguação sobre o fato, foi realmente constatado um mandado de prisão em aberto e que se tratava realmente suicida foragido da Penitenciária Regional de Timon (Maracujá), chefiada pelo policial penal Willian Nunes Leite Filho,sobre quem pesam imputações de permitir tortura a presos na unidade e assédio moral contra servidores do presídio, o que inclusive já foi denunciado ao desembargador do Tribunal de Justiça, coordenador do Sistema Penitenciário do Maranhão

Servidores têm desesperadamente batido às portas dos órgãos judiciais e do próprio Ministério do Trabalho, entre outros, denunciando maus tratos e assédio moral, além de torturas dentro da penitenciária regional, inclusive pedindo providências urgentes. O diretor da Penitenciária de Timon, tem em seu currículo a participação em um movimento violento na Penitenciária de Coroatá, ocasionado pela visita de Defensores Públicos, os quais foram apurar junto aos presos casos de torturas, tendo inesperado surgido um falso motim e o resultado foi que mais de 30 presos saíram feridos, inclusive com presos atingidos nos testículos e o caso nunca foi apurado e por determinação do secretário Murilo Andrade, William Leite Filho pela sua participação na violenta e covarde ação, foi promovido para a direção da Penitenciária de Timon, quando deveria ser afastado das funções públicas até a apuração dos fatos relacionados a torturas e violência contra mais de 30 presos, em razão da sua participação direta no ato.

Conselho Regional de Enfermagem, nos dias 20 e 21 de setembro de 2021, fez visita à penitenciária e constatou “in loco”, diversas irregularidades que comprometem diretamente a vida e a saúde dos presos. O presidente do Coren – MA, Enf. José Carlos Junior, fez o então diretor Willian Nunes assinar um TAC – Termo de ajuste de Conduta, que se deu em retorno a outras notificações e que até o momento não foram consideradas, onde possivelmente teria levado à morte mais presos.

O policial diretor William Nunes que já é alvo de várias denúncias e atualmente os servidores pedem encarecidamente à comarca de Timon, de que ele seja investigado, com o seu afastamento, além da apuração dos casos de maus tratos a presos e servidores penitenciária, mas como se trata de amigo do secretário Murilo Andrade, desmandos e violências continuam sendo praticadas com a absoluta impunidade a exemplo do caso da Penitenciária de Coroatá.

As irregularidades são tantas que, dentro da penitenciária regional de Timon, existem casos de presos que morreram por estarem com HIV/AIDS e mesmo assim, ficaram dois anos sem receberem medicamentos, vindo a óbito de forma lastimável. São exemplos de práticas desumanas com a banalização da vida dos presos. São fatos que precisam ser investigados para a responsabilização criminal do diretor da Penitenciária, do Secretário de Administração Penitenciária e do Governo do Estado.

A negligência e maus tratos a servidores a presos na penitenciária regional de Timon por parte do diretor William Nunes são sérias e gravíssimas. No mês de março de 2021, o preso Luís Rodrigues da Silva, que se encontrava isolado na cela 07 do Bloco A, implorou por atendimento médico, mas a ordem expressa do mencionado diretor, era que tratava de fingimento do interno. Após horas esperando atendimento, já em estado alarmante, o interno foi escoltado em um camburão até a UPA de Timon onde, por conta de mais uma negligência, veio a óbito com um ataque cardíaco! (O caso está registrado no livro de ocorrências da penitenciária reg. de Timon no mês de março, onde servidores disponibilizam.

Com a visita do Presidente do Coren – MA, José Carlos Junior, possivelmente algo possa vir a mudar, pois o mesmo afirma que “vai avançar para as correções das irregularidades encontradas durante as fiscalizações”. Enquanto isso, servidores aguardam confiantes a intervenção do poder Judiciário; mas prometem não se calar, pois não aceitam qualquer forma de maus tratos e assédio moral dentro do estabelecimento”, prática esta repudiada nos dias atuais e já denunciadas anteriormente.

                      Denuncias ao Conselho Nacional de Justiça

Os servidores signatários das denúncias, continuarão as encaminhando para as autoridades locais, mas já estão levando ao conhecimento do Conselho Nacional de Justiça, uma vez que a SEAP, tenta por todos os meios criar imagens de que o Sistema Penitenciário do Maranhão com referência nacional, negando os casos de fugas, negociatas de agentes penitenciários com presos, mortes e até denuncias de articulações com nomes de bandidos perigosos nas saídas temporárias. O caso mais vergonhoso dos últimos tempos foi registrado em Imperatriz, em que presos fugiram e conseguiram imobilizar toda a segurança do presidio. O mais vergonhoso é que foram os moradores das proximidades do local da fuga, que deram o alarme. Pelo visto, as autoridades estão sendo totalmente omissas para tanta esculhambação.

Fonte: Servidores Penitenciários de Timon

 

 

 

 

.

 

Cassio Vlade

Aldir as penitenciárias maranhenses estão faltando servidores para funcionar de forma regular, aqui mesmo em São Luís diversos presídios estão sem servidores, são feitos seletivos e as pessoas que a SEAP manda para os presídios nunca pegaram em um armamento, está havendo disparos acidentais em todos os turnos. O secretário coloca em determinados postos as pessoas que são de seu círculo de amizade, existem determinados setores como a SSE que para ficar nele tem que ter o curso, mas não é o que ocorre atualmente, o coordenador desse setor pensa que é a casa dele, as pessoas que possuem curso ele remove para outras unidades e coloca pessoas do seu círculo de amizade, isso o secretário Murilo faz que não vê. Peço que se aprofunde mais nesses casos.

Antonio Santos

Prezandos, seria interresante se tivessimos noticias com relação aos trabalhandos de ressocialização que vem ocorrendo dentro das unidades prisionais do Maranhão. Inclusive dessa Penitenciária mencionada na reportagem, pois decordo com uma visita que realizei nessa unidade constatei que os trabalhos de ressocialização são excelentes e todo esse desenvolvimento esta ocorrendo mediante a atual direção.

Miguel Manoel.

Esse secretário da SEAP Murilo Maldade está tocando o terror faz tempo!
Já fez muito servidor sofrer nessa SEAP!
Agora está obrigando ilegalmente servidores a comprar duas causas e duas camisas com o auxílio fardamento!
Ou compra ou vai levar fumo na corregedoria dele! Kkkkk

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *