SEMOSP compra materiais de construção civil em farmácia e minimercado, destaca blog

Denúncias feita pelo blog do Neto Ferreira e ratificadas pelo Diário Oficial da Prefeitura de São Luís, podem criar sérios problemas para a administração do prefeito Eduardo Braide. Em meados do mês de dezembro do ano passado, a gestão atual decidiu contratar uma farmácia e um mercadinho para garantir o fornecimento de insumos para construção civil e vários equipamentos. As simples compras em estabelecimentos não habilitados para a comercialização dos produtos já é muito grave, e o pior ficou por conta do superfaturamento dos materiais

Os contratos foram firmados por meio da Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Semosp) com as empresas F.M. Meira Eireli e Alcance Consultoria, Serviços e Comércio, ambas localizadas em São Luís, e que de acordo com informações divulgadas no Diário Oficial da Prefeitura ratificam a negociação nada transparentes e que precisam ser investigadas pelo Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado. A F.M. Meira, conhecida no mercado como Leve Med, foi contratada pela gestão do prefeito Eduardo Braide pelo montante de R$ 14.330.403,84 milhões e a Alcance Consultoria pelo valor de R$ 8.873.427,70 milhões.

Em consulta ao site da Receita Federal, a reportagem do Blog do Neto Ferreira apurou que Leve Med tem como atividade principal comércio de produtos farmacêuticos e não possui relação com fornecimento materiais de construção civil e a Alcance Consultoria é um minimercado que vende mercadorias em geral, com predominância em produtos alimentícios.

Conforme a apuração, a farmácia iniciou suas atividades em setembro de 2020 com capital social de R$ 200 mil. Ela pertence à Fernanda Melo Meira. Já o minimercado foi aberto em fevereiro de 2015 e é de propriedade de Monize Fernandes Vieira Costa. O capital social chega a R$ 7,8 milhões.

O Blog tentou localizar as sedes das empresas pelos endereços fornecidos, mas não obteve sucesso. Tentou ouvir a prefeitura de São Luís através de e-mail, mas não obteve resposta.

Há poucos dias, o Tribunal de Contas do Estado suspendeu uma licitação da Prefeitura de São Luís no valor de mais de R$ 41 milhões, atendendo denúncias de vícios de irregularidades e com mais este caso sério e muito grave, coloca a administração municipal numa situação bem complicada, quanto a questão da transparência, uma das promessas do prefeito Eduardo Braide à população de São Luís. O silêncio para problemas comprometedores e que dão vazão a falta de transparência e caminho para o descrédito público. O Ministério Público tem a devida responsabilidade em fazer a investigação.

Fonte: Blog do Neto Ferreira

 

 

 

AFONSO ALVES

muito perigoso. A Criança ainda tá engatinhando já tão botando pra correr, é BRINCADEIRA .no final do Mandato tá pior que a Gestão anterior do Edvaldo HJunior.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *