Renan inclui presidente do CFM como investigado na CPI, em ato irresponsável

O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL) indicou o presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Mauro Luiz de Brito Ribeiro, à condição de investigado pelo colegiado, sob a acusação de “negacionismo”.

O ato absurdo de Renan foi comemorado por senadores da oposição e deixou parlamentares da base governista perplexos, seja pela falta total de embasamento para tanto ou pelo desrespeito àquele que representa toda uma classe médica no Brasil, que tem lutado diariamente não apenas no combate ao vírus chinês, como também contra todas as doenças e situações em que a saúde mereça atenção, nos quatro cantos do país.

O senador Marcos Rogério ainda tentou trazer os colegas de oposição para a “realidade”, demonstrando a falta de bom senso, mas chegou a ser atacado e até ironizado.

Estamos diante de uma. “verdadeira inquisição” que funciona, quem diria, dentro do senado federal e tem em seus “comandantes” a total falta de noção sobre as consequências dos próprios atos, afirmou Marcos Rogério.

Jornal da Cidade Online

O seu endereço de e-mail não será publicado.