Polícia Federal pede prisão do padre Robson de Oliveira, do Santuário Divino Pai Eterno

O padre é alvo de investigação do Ministério Público desde o ano passado, por suspeita de lavagem de dinheiro de doações

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) recebeu nesta quinta-feira (18) um pedido da Polícia Federal para a prisão preventiva do padre Robson de Oliveira Pereira, que era reitor do Santuário Divino Pai Eterno, em Trindade (GO). Ele é alvo de uma investigação do Ministério Público desde o ano passado, por suspeita de lavagem de dinheiro de doações feitas por fiés à paróquia. O pedido foi protocolado na quarta-feira (17) e está a cargo do relator ministro Benedito Gonçalves, que ainda não decidiu se vai acolher a demanda.

A denúncia é fruto das investigações conduzidas pela Operação Vendilhões, que apurou desvios na Afipe (Associação Filhos do Pai Eterno). O Ministério Público de Goiás deflagrou a operação em agosto do ano passado para investigar supostos crimes de organização criminosa, apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e sonegação fiscal que envolvem diretores de entidades religiosas – Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), Associação Filhos do Pai Eterno e Perpétuo Socorro e Associação Pai Eterno e Perpétuo.

Com apoio das polícias Civil e Militar de Goiás, o MPGO cumpriu 16 mandados de busca e apreensão na sede das associações, em empresas e em residências em Goiânia e Trindade. As ordens foram expedidas pela juíza Placidina Pires, da Feitos Relativos a Organizações Criminosas e Lavagem de Capitais. Após a investigação, o padre Robson foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás.

De acordo com o MPGO, o prejuízo para a associação ultrapassou os R$ 100 milhões. O valor deveria ser destinado à construção da nova basílica, que está em fase inicial de obras, em Trindade.

Fonte: R7 

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *