O Governo do Maranhão e os riscos diários das vidas de milhares de passageiros dos ferrys boats

Os problemas constantes e ameaçadores de tragédias inimagináveis é de total responsabilidade do Governo do Maranhão e várias outras instituições em que estão a Capitania dos Portos, o Ministério Público e o Poder Judiciário. O governador Flavio Dino vem tratando o sério e muito grave problema com muita indiferença. Ela é tanta, que já anunciou através da MOB, concorrências públicas e elas não são tratadas com a devida seriedade e transparência. A indiferença das demais autoridades é bastante lamentável. O que a população, que faz todos os dias a travessia entre a Ponta da Espera na capital e o Cujupe na Baixada Maranhense quer, é um serviço digno de qualidade e segurança. No último domingo o ferry boat Alcântara, numa manobra arriscada para ancorar na Ponta da Espera se chocou uma pilastra de concreto, proporcionando quedas de passageiros e o tumulto não foi maior em razão de a embarcação já estava no porto.

Há poucos dias foram feitas denúncias de que o Governo do Maranhão estaria disposto a dar como vencedora de uma concorrência pública, uma empresa do Pará, que não tem se quer um ferry boat. Caso venha a se confirmar, haverá necessidade de uma movimentação popular com a cobrança aos mais diversos sociais públicos e privados em defesa de direitos e da vida, levando-se em conta que de há muito as vidas de milhares de pessoas vêm sendo banalizadas e a hipocrisia das autoridades é bastante vergonhosa e de uma irresponsabilidade a toda prova.

Será que estão apenas aguardando apenas um acidente de grandes proporções com a perda de muitas vidas para que a solução seja encontrada? Não duvidem, o respeito a dignidade humana não existe, interesses bem maiores estão acima e no contexto político vence quem consegue fazer maiores e melhores negócios, e infelizmente, os espúrios sempre acabam prevalecendo. Hipocrisia é quando eles se reportam ao povo, como se houvesse um mínimo de respeito. Quem vem sofrendo as desigualdades e a miséria com muita gente morrendo de fome, é grande parte da população maranhense, mas como a covid ainda está em evidência, serve para atestar o contrário.

Fonte: AFD

 

Conceição Tavares

Além do péssimo serviço prestado a população, eles não tem o menor respeito pelos usuários do serviço, no dia 14 de setembro, cheguei no cujupe às 13:00h e fiquei na fila de espera. Até às 19:00h, pois não tinha passagem para os carros, foram 2 ferry e não consegui embarcar, somente às 19h resolveram botar um extra, fpi que consegui embarcar, isso é uma falta de respeito

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *