O desafio de Neto Evangelista será redirecionar a SEDES e acabar com os vícios criminosos na pasta

NetoevangelistaA Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar foi uma invenção da governadora Roseana Sarney para canalizar recursos de diversos órgãos federais e ampliar o clientelismo sórdido, perverso e excludente no meio rural. A sua finalidade principal, que seria o desenvolvimento de politicas públicas, efetivamente nunca aconteceu, levando-se em conta que os gestores direcionados para a pasta, tinham a preocupação e responsabilidade de favorecer políticos indicados pelo Palácio dos Leões.

A partir das constantes denuncias e preocupação da direção da Fetaema, para os mais 700 mil maranhenses, que não têm qualquer referência de renda e que precisam ser inseridos efetivamente em politicas públicas para que possam buscar a sua dignidade de ser humano, o governo do Estado chegou a fazer empréstimo junto ao BNDES para a utilização de uma politica de combate a extrema pobreza. O governo de Roseana Sarney, não se sabe como aplicou os recursos, mas existem denuncias de que foi com clientelismo em troca de votos e alimentação de campanhas dos candidatos indicados pelo Palácio dos Leões. A verdade é que o número de pobres e miseráveis é muito maior na atualidade.

A extinção da Secretaria da Agricultura Familiar e a transferência das suas finalidades para a Secretaria de Desenvolvimento Social foi mais uma perversa estratégia governamental para punir a pequena agricultura, não permitindo a produção de alimentos e automaticamente tornando milhares de agricultores inadimplentes junto aos estabelecimentos de créditos agentes do PRONAF – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. A pasta está atolada em muitas denúncias de corrupção, desde o desvio de finalidades e de recursos públicos até a inúmeros convênios em que muito dinheiro foi repassado sem a devida aplicação.

O deputado Neto Evangelista e os seus colegas de parlamento Rubens Júnior, Marcelo Tavares e Othelino Neto, tiveram oportunidade de constatar o envolvimento do secretário Fernando Fialho, na fraude de estradas vicinais. Ao ser convocado para ir à Assembleia, o presidente da casa deputado Arnaldo Melo, se tornou um autêntico escudeiro dele. Apesar de não ter esclarecido nada, muito pelo contrário se enrolou ainda mais, mesmo assim a maioria dos parlamentares que devem obediência ao Palácio dos Leões, o blindaram.

O futuro secretário Neto Evangelista, terá quando chegar a pasta, efetivar uma autêntica limpeza, com retirada de grupos de servidores viciados e muitos deles instrumentos de políticos corruptos, principalmente no desvio de finalidades de politicas que deveriam ser públicas e os viciados convênios, além de naturalmente proceder uma ampla auditoria para identificar o rombo em vários programas que não foram executados, mas os recursos desviados e tantos em que as finalidades não foram aplicadas.

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *