“Não podemos admitir traidores da Constituição”, diz Carmen Lúcia. Quem está traindo?

Em palestra, a ministra do STF, afirmou que a Carta Magna deve ser protegida e foi criada para garantir direitos individuais e coletivos. Será que todos os ministros do STF estão observando os princípios emanados da Constituição?

A ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou declarações que colocam em dúvida a integridade das eleições. A fala da magistrada ocorreu, na tarde desta segunda-feira (23), durante uma palestra na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), em um momento de crise entre os Poderes.

Em um contexto em que explicava que a Constituição Federal protege direitos fundamentais e sociais, a ministra destacou que a Carta Magna deve ser protegida. “A vida mudou porque a Constituição permitiu a possibilidade de adotar instrumentos para que a gente possa viver em paz. Compete a nós garantirmos que ela se mantenha”, disse.

Para Carmen Lúcia, é necessário garantir o cumprimento da legislação para proteger o futuro do país. Ela parafraseou José Pimenta Bueno, que fez uma análise da Constituição do Império. “Essa constituição durará enquanto durar a democracia brasileira. Traidor da Constituição é traidor da Pátria. Não podemos admitir traidores da constituição, que são traidores da história brasileira, do presente e principalmente do futuro”, disse.

7 de setembro
O tribunal está no centro de críticas lançadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que questiona a segurança do sistema eletrônico de votação. De acordo com fontes ouvidas pelo R7 no Supremo, todos os magistrados estão apreensivos com os protestos marcados para o Dia da Independência.

No entanto, a avaliação de momento é que não é necessário reforçar a segurança da Corte antes da data comemorativa ou fazer qualquer tipo de manifestação pública no momento. Mas a realização de um pronunciamento pelo ministro Luiz Fux nos próximos dias não está descartado.

Fonte: R7

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *