Flavio Dino impõe a maioria dos servidores públicos do Maranhão um salário mínimo

Desde 2015, o Fórum de Defesa das Carreiras tem encaminhado ofícios com solicitações de audiências com o Executivo Estadual, como tentativas de abrir diálogo sobre as demandas dos servidores públicos, principalmente, o reajuste salarial e a continuidade da implantação das tabelas do Plano Geral de Carreiras e Cargos (PGCE), honrada pela administração anterior para com todos os servidores públicos estaduais.

O documento protocolado na Casa Civil com 28 pautas de interesse e direitos dos servidores públicos do Maranhão, entre elas, a criação da data-base em lei para todos os servidores; a criação da Mesa de Negociação Permanente; o fim do congelamento da tabela de vencimentos do PGCE e a reabertura do prazo de adesão; a realização de concurso público para todas as áreas de atuação do Estado; a suspensão do processo de demissões dos funcionários da MAPA; entre outros pontos.

“Em janeiro deste ano completaram-se sete anos do congelamento da tabela de vencimentos do PGCE, situação que nos deixa bastante indignados com o descaso no tratamento dispensado pelo governador Flávio Dino aos servidores públicos estaduais. Neste período houve uma significativa perda do poder de compra e desvalorização da renda do trabalhador, acentuada ainda mais nos dois últimos anos por conta da pandemia, ultrapassando um percentual superior a 30%. O que pedimos é uma reunião para tratar não só dessa situação, mas, também, de outras pautas de interesse da categoria”. A preocupação do Forum é que um grande percentual dos servidores públicos do Estado está recebendo salário mínimo, o que está gerando desigualdades sérias, afirma Cleinaldo Bil Lopes, presidente do SINTSEP e coordenador do Fórum de Defesa das Carreiras do Poder Executivo.

Fonte: SINTSEP-MA

 

JOSÉ João da Cruz

Isso é uma mostra do que é um governo de esquerda, desses governantes comunistas tão hipócritas quanto mentirosos, tanto, que dizem ser “um governo para o povo” e o que fazem é achacar esse mesmo povo com impostos escorchantes. Roubam-lhes os direitos adquiridos, e lhes tornam miseráveis por não obedecerem leis que lhes impõe isso. Para os professores então nem se fala. Pergunta-se apenas: O que é o sinproesemma? Uma ala comunista da base do governo, miseravelmente comprometida em ser contra os professores, apenas isso, uma associação composta de incompetentes que usam aquele “sindicato” para seus próprios fins. Tanto é que vejam quanto anos alguns fazem parte dela.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *