Advogados foram à Câmara cobrar a aprovação do Projeto de Lei de eleições diretas na OAB

O projeto de lei (PL) que modifica o Estatuto da Advocacia e as normas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para permitir eleições diretas no Conselho Federal da entidade voltou a ser discutido na Câmara dos Deputados, após dois anos de inatividade. A deputada federal Bia Kicis (PL-DF) foi nomeada relatora do PL nº 1.123/2022 na Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJC), nesta quarta-feira (5/6), depois de uma manifestação organizada por advogados no Salão Negro da Câmara no mesmo dia.

Advogados reivindicam eleições diretas no Conselho Federal da OAB

O projeto de lei foi apresentado pelo ex-deputado federal Guiga Peixoto, em 2022. Uma das principais mudanças sugeridas é permitir que todos os advogados do país, inclusive os inadimplentes, possam votar para escolher o presidente do Conselho Federal da Ordem (CFOAB) e os demais membros da diretoria nacional. Atualmente, essa eleição é indireta, realizada pelos 81 conselheiros federais. A proposta também visa proibir os membros da diretoria ou do conselho da OAB de utilizarem cartão corporativo ou bens da entidade para fins pessoais.

Entre os presentes na manifestação estava o advogado e ex-desembargador do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) Everardo Gueiros, que está se preparando para disputar as eleições da seccional da OAB no DF, em novembro.

“Depois de 40 anos de eleições diretas no Brasil, a Ordem ainda não tem um pleito aberto para escolha do presidente e da diretoria [do CFOAB]. A democracia na entidade é apenas da porta para fora; dentro, ela não existe”, criticou Gueiros após a manifestação.

Jornal da Cidade Online

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *